31/12/16

O iPhone 7 teve uma procura menor do que a esperada! Apple vai diminuir produção

O iPhone 7 teve uma procura menor do que a esperada! Apple vai diminuir produção

 



A Apple teve até boas vendas do iPhone 7 neste Natal, vendeu aproximadamente o dobro dos smartphones em comparação com a Samsung nesse período, diz uma pesquisa, mas isso não significa necessariamente que a Apple tenha tido bons números de vendas do  iPhone 7. Isso pelo menos é o que aponta o jornal japonês The Nikkei, que se baseou nos dados entretanto recolhidos nos fornecedores da Apple.

Segundo a publicação do jornal, os cálculos, da produção do iPhone 7 e 7 Plus em 2017 deve ser reduzida em 10% já no primeiro trimestre de 2017, por causa da procura estar em baixa neste final de ano de 2016.


A empresa reduziu a produção entre Janeiro e Março de 2016 devido ao inventário acumulado da gama iPhone 6s no fim de 2015. Essa experiência levou a Apple a conter a produção do iPhone 7, iniciada em Setembro, perto dos 20%.

Mas o equipamento ainda vendeu mais lentamente do que o esperado. Informações sobre a produção dos modelos mais recentes e as vendas globais sugerem cortes tanto no iPhone 7 como no 7 Plus no próximo trimestre.


Ainda afirma o jornal que, o modelo maior continua com boa popularidade, mas a produção dos sensores da câmara  não consegue acompanhar a procura pelo equipamento, lembrando que o iPhone 7 Plus possui duas câmaras na traseiras.

 Desengane-se quem pensava que os problemas causados pelo Galaxy Note 7, poderiam servir para estes utilizadores adotarem de vez o iPhone. Recentemente, a empresa de pesquisa NPD publicou um estudo que mostra que as explosões do Galaxy Note 7 não foram suficientes para aumentar a migração do Android para o iOS. Em Novembro, o analista da KGI Ming-Chi Kuo já previa que as vendas do iPhone cairiam até o final do ano.

De acordo com o Nikkei, a procura pelo iPhone no Japão segue forte, mas o país responde por apenas cerca de 10% do total do mercado global do setor.


PARTILHAR ISTO

Comentar no Facebook

0 comentários: